Archive for 15 de Março, 2012

Ynari A Menina das Cinco Tranças


Ynari A Menina das Cinco TrançasSinopse

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 4º ano de escolaridade destinado a leitura autónoma e leitura com apoio do professor ou dos pais.

Ynari é uma menina com cinco tranças e muita vontade de conhecer outras aldeias.
Perto do rio, Ynari encontra um homem pequenino e descobre que a guerra também faz parte do mundo. Com a ajuda das suas cinco tranças, a menina vai mostrar que as crianças, com magia e ternura, podem mudar todas as aldeias e acabar com todas as guerras.
Numa viagem de sensibilidade e sabedoria, com estrelas e cores, é possível inventar ou destruir palavras. Brincando com os sentidos da vida e da paz, Ynari redescobre uma palavra antiga cheia de uma magia nova: «amizade»

Ynari – A Menina das Cinco Tranças de Danuta Wojciechowska, Ondjaki
Críticas de imprensa
“Um livro que conta com um belíssimo trabalho de Danuta Wojciechowska (Prémio Nacional de Ilustração de 2003) e que se vem juntar às raras obras editadas em Portugal sobre países africanos destinadas a crianças e jovens. Com a dimensão das comunidades oriundas de África que existem no país, só pode ser positivo dar a conhecer às crianças africanas a cultura de origem das gerações mais velhas. Para os outros miúdos, é uma forma de descobrirem realidades diversas daquelas em que vivem e de se interessarem desde logo por conhecer e compreender o outro – aceitando-o nas diferenças.”
Rita Pimenta, in Mil Folhas (Público), 02 de Outubro de 2004
Anúncios

Toca e Foge ou A Flauta sem Mágica


                                                                                                  
                                                                                            Toca e Foge ou Flauta sem Mágica

Sinopse

Um estranho mal atacou os instrumentos musicais, que deixaram de tocar. O mundo ficou mais triste, mais feio, mais cinzento. Um jovem flautista e alguns amigos vão tentar descobrir a doença que estrangulou a música. O exército dos Cinzentões persegue os últimos resistentes. Quem toca, foge. Vai ser sempre assim? A desordem ganhará à harmonia? As trevas vencerão a luz? O flautista Celestino não se conforma e o autor da peça também não.